Método Canguru – Momentos de partilha pele-a-pele

Quando um bebé prematuro nasce ele é separado prematuramente da sua mãe e provavelmente da ligação mais estreita que jamais algum ser humano terá durante a sua vida.

Ele é pequeno e precisa da atenção dos médicos e dos enfermeiros. Os pais são também elos importantes no apoio ao seu crescimento e desenvolvimento, aqueles que irão prolongar os cuidados e os laços afetivos de forma mais constante e duradoura no internamento e após a alta. Esta é uma das razões para que, quando se sentir capaz e quando o seu bebé está estável o suficiente, o pessoal da unidade de neonatologia irá encorajá-lo(a) a pegar no seu bebé em contacto estreito pele-a-pele – Método Canguru.

O Método Canguru foi desenvolvido nos anos 70 na Colômbia para resolver o problema da falta de incubadoras, as infeções e o abandono de bebés nos hospitais. O prematuro era colocado o mais cedo possível em contacto direto e prolongado com a pele da mãe onde permanecia todo o dia, todo o tempo, num ambiente térmico adequado e como forma de encorajar a alimentação exclusiva ao peito. Segundo a OMS (2012) o Método Canguru reduziu em 50% a morte neonatal em bebés estáveis com menos de 2,000Kg quando iniciado na primeira semana de vida, comparado com os cuidados em incubadora. Outros benefícios apontados foram: 40% de redução na mortalidade após a alta, redução em 60% do risco de infeções, de 80% para a hipotermia, aumento da taxa da amamentação, um maior ganho ponderal, e melhoria na vinculação materna e no desenvolvimento global do bebé. Referencia também à diminuição dos gastos em saúde com a diminuição dos dias de internamento e de cuidados de enfermagem.

O bebé é colocado em contacto estreito pele-a-pele, peito com peito, dentro das roupas dos pais para que permaneça quente. O calor do corpo da mãe/pai ajusta-se de forma a estabilizar a temperatura do bebé. Bebés gémeos podem partilhar o canguru.

Na UCIN

O Método canguru poderá ser utilizado em todos os bebés clinicamente estáveis, embora algumas unidades possam apresentar limitações como:

  • fototerapia;
  • pós-operatório imediato;
  • presença de cateteres umbilicais;
  • ventilação de alta frequência.

 O bebé poderá ser colocado no colo da mãe ou do pai

A princípio poderá parecer assustador, sobretudo se o bebé ainda estiver ventilado. Os profissionais estão preparados para apoiar e acompanhar todo o processo. É um momento muito íntimo, talvez o de maior proximidade entre os pais e o bebé após o nascimento.

Quanto maior o tempo em Canguru maiores os benefícios para os envolvidos. O bebé terá mais tempo para estabilizar e usufruir do colo, do cheiro, da proximidade, dos sons que lhe chegam do coração do pai ou mãe e das suas vozes, que tão bem conhece. Para tal os pais devem vir descansados, sem correr o risco de terem fome ou terem de ir à casa de banho.

A altura mais indicada terá que ser avaliada, ponderando os benefícios para o bebé e para os pais e numa altura do dia em que a sala está calma. O ruído deve ser mínimo e a luminosidade adequada ao bebé que vai sair da incubadora. Para o efeito poderá criar apenas uma tenda em volta da cabeça do bebé com uma mantinha.

Um espelho poderá ser útil para que o pai ou mãe possam ver as expressões do bebé e interagir com ele, ou deixá-lo dormir se for o caso.

A cadeira deve ser confortável e de preferência que embale. Os movimentos para a frente e para trás trazem benefícios a nível do desenvolvimento do sistema vestibular (responsável pelo equilíbrio) e podem ajudar a acalmarem o bebé simulando um pouco os movimentos dentro do útero materno.

O bebé é colocado apenas com fralda e um gorro numa posição vertical no peito da mãe ou pai e depois tapado com uma mantinha ou apoiado pelas roupas do progenitor. A manta ou roupa deve segurar o bebé nessa posição proporcionando alguma contensão e apoio logo abaixo da orelha do bebé evitando que o bebé se curve sobre si em demasia, sobretudo quando eles são muito pequeninos, o que pode dificultar a função respiratória.

É possível que o bebé fique transitoriamente instável durante a mudança de posição da incubadora para canguru e vice-versa. A sua recuperação após a mudança de posição pode demorar algum tempo e é normal em bebés muito sensíveis. O tempo, o carinho e as palavras de conforto podem ajudá-lo a recuperar mais rapidamente.

Método Canguru e cuidados diários

Alguns cuidados podem ser feitos enquanto o bebé está no colo dos pais e em Canguru: a alimentação, avaliação da tensão arterial e algumas colheitas de sangue. Durante estes procedimentos o bebé sentir-se-á mais confortável e apoiado pelo progenitor podendo diminuir as suas respostas de dor e desconforto e diminuir o período de recuperação.

Com o prolongar e o aumento da frequência do Canguru, o bebé irá dormir mais descansado e durante mais tempo. Estes períodos de repouso são importantes para o seu crescimento e desenvolvimento e para a recuperação de procedimentos médicos exigentes.

O contacto direto pele-a-pele beneficia também a estabilidade do bebé. A sua respiração será mais regular e fácil e o seu ritmo cardíaco mais estável.

Método Canguru e alimentação

Se o bebé mostra interesse em sugar a posição pode ser ajustada para que ele possa alcançar o peito. Mesmo bebés muito pequenos podem ser colocados na mama para cheira ou provarem o leite materno sem intenção de se alimentar.

Alimentação por sonda pode ser feita durante o pele-a-pele. A mãe/pai podem aprender a perceber as reações do bebé à medida que o leite flui pela sonda e ajustar o fluxo em caso de necessidade.

Duração

O método canguru pode prolongar-se enquanto o bebé e a mãe/pai estiverem confortáveis, uma hora, duas, ou mais… O maior desafio do Método Canguru é a transferência do bebé da incubadora para o colo e deste de volta para a incubadora. Uma hora de posição canguru e repouso é o mínimo para que o bebé consiga recuperar e beneficiar, com a mãe/pai, da proximidade antes de ser transferido novamente. Menos tempo pode significar dois grandes eventos desestabilizadores muito próximos um do outro.

Sempre que o bebé está acordado fale com ele ternamente, cante uma canção de embalar e deixe-o decidir se quer mais. Na maior parte das vezes ele irá dormir, relaxe com ele. Durante o sono pode sussurrar um ou outra palavra ou cantar junto do seu ouvido.

Canguru até quando?

Os bebés em geral dizem quando estão satisfeitos ou quando já cresceram o suficiente e não querem estar na posição canguru, mostrando-se inquietos e desconfortáveis.

Com o seu crescimento o bebé beneficiará também do colo frente a frente, cara a cara, para que ele conheça a face dos pais, as expressões e conversem mutuamente.

Quando o prematuro vai para casa ele pode continuar a manter um contacto estreito com a mãe durante o dia, sobretudo se a mãe está muito ocupada. Existem muitas formas de manter o bebé no colo e que respeitam as diferentes fases do desenvolvimento, com recurso a panos – slings – e ao marsúpio que permitem colocá-lo peito a peito, ou deitado junto do corpo da mãe/pai, ou ainda de costas para poder observar o ambiente.

Informe-se da política da unidade relativamente ao colo e em especial ao Método Canguru. Caso se sinta preparado usufrua desta forma de proximidade, amor e partilha com o seu filho prematuro.

O Método Canguru é uma escolha sua não uma obrigação.

Share

2 pensamentos em “Método Canguru – Momentos de partilha pele-a-pele

  1. Parabéns pelo trabalho magnífico com o BINÕMIO, MÃE-FILHO, ou melhor, “Trinômio Mãe-Filho-Família”!
    Que o coração da equipe esteja sempre iluminado e irradiando esta confiança aos pacientes!
    Jesus os abençõe, sempre!

    Lucimar de B.H.- MG

  2. Parabéns pelo artigo publicado, que este método Canguru, seja cadaveis mais praticado!!!!!!
    E que possamos cativar e cultivar, mais seres humanos a praticar à Humanização!!!!!!!!!!
    Que Deus abençõe.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>