Olha para mim!

Interpretação da linguagem corporal

Como saber o que sente o seu bebé?

O seu bebé é bem capaz de lhe dar a entender o que pensa do mundo à sua volta. A forma de ele comunicar não é, de início, por palavras, mas sim pelo seu choro e através da sua linguagem corporal. Outros sinais como o ritmo da sua respiração ou do coração podem indicar se ele está desconfortável ou ansioso.

Nesta secção poderá encontrar pistas que o ajudam a entender melhor alguns sinais e comportamentos que o bebé pode apresentar.

Bebé prematuro atento

Observar a respiraçãoA respiração normal de um bebé deve situar-se entre os 30 e 40 respirações por minuto, ser regular e tranquila. No início o bebé internado pode respirar através de um ventilador. Às vezes o seu peito treme discretamente impulsionado pelo ar que é vibrado pelo ventilador. Por cima deste movimento ritmado e artificial o bebé apresenta movimentos torácicos inspiratórios e expiratórios. À medida que ele vai ficando mais forte irá respirar de forma independente e adquirir um padrão mais regular e eficaz. Por vezes podem surgir alterações na profundidade das inspirações e no ritmo e revelar intranquilidade, cansaço ou ainda que está acordado. Quando a respiração é mais acelerada – taquipneia – o bebé pode estar a tentar compensar alterações fisiológicas dos níveis de gases sanguíneos, ou então pode surgir como resposta ao stress ou ao desconforto. Quando lenta – bradipneia – ou inexistente – apneia – o bebé pode estar cansado ou necessitar de ajustes nos parâmetros do ventilador. A apneia da prematuridade é uma condição fisiológica comum em prematuros com menos de 32 semanas de idade gestacional, em que o bebé faz pausas prolongadas (mais de 20 segundos). Deve-se à imaturidade do sistema nervoso central, sobretudo do centro respiratório. Para o efeito alguns bebés necessitam de um estimulante para respirar, a cafeína, medicação oferecida uma vez por dia.

Alterações do tom da pele. Os recém-nascidos tendem a ter uma coloração mais avermelhada. Por vezes surgem áreas de pele mais pálida como à volta do nariz ou orelhas, ou um tom azulado à volta dos olhos ou boca, ou ainda padrões de manchas na pele brancas/avermelhadas/acinzentadas como mármore – pele marmoreada; quando estão rosadinhos significa que estão bem, calmos, tranquilos e a respirar bem. À medida que conhecemos melhor o bebé podemos verificar que algumas alterações podem indicar que necessita de fazer uma pausa nos cuidados, de conforto ou mudar de posição. A maior parte das vezes consegue-se saber isso antes que o monitor nos indique o mesmo.

Os prematuros apresentam com frequência tremores e movimentos descoordenados e desajeitados, soluços, bocejos ou espirros, bolçam ou esticam-se. Estes padrões de movimentos são normais nos prematuros, mas tendem a ser mais repetidos quando estão cansados ou desconfortáveis. Alguns estão também associados a imaturidade do SNC e a diminuição da força muscular e da capacidade de controlo de movimentos. A repetição deste padrão de comportamentos, nomeadamente os movimentos do corpo, por um período longo ou durante vários episódios diários pode levar o bebé a cansar-se, a perder energia, necessária para crescer, regular os ritmos fisiológicos ou aumentar de peso. A contensão e o pousar da mãos ajudam o bebé a reduzir estes movimentos, alguns involuntários.

Actividade. O feto apresenta muitos movimentos importantes para o desenvolvimento, estica as pernas e os braços de encontro às paredes uterinas, leva as mãos à face e pode chuchar nos dedos. Alguns destes movimentos parecem acalmar o bebé prematuro.

Fora do útero materno os prematuros têm dificuldade em coordenar os movimentos e tendem a perder energia rapidamente quando em períodos de grande actividade. A posição e os movimentos podem indicar-nos se o bebé precisa de um maior suporte ou se está tranquilo e confortável. É importante estar atento a posições que revelam tensão como arqueamento das costas, os braços e pernas esticados para longe do corpo, ou se, pelo contrário, está deitado no leito sem energia. Estas posições podem sugerir que o bebé está desconfortável, com dor, ou que quer mudar de posição.

O bebé pode também aninhar-se confortavelmente com os braços e pernas dobrados junto do corpo, os pés pousados um no outro ou sobre uma das pernas, e com as mãos junto, sobre ou ao lado da face, ou de mãos dadas. Estes padrões de reorganização de movimentos e de auto-consolo podem não ser muito evidente mas é uma capacidade que irá ser cada vez mais capaz de fazer à medida que fica mais forte e coordenado, e revela maturidade. Movimentos suaves, graciosos e dirigidos também farão parte do seu reportório enquanto se vão sobrepondo a movimentos descoordenados, com tremores ou desajeitados, manifestando uma maior capacidade em se acalmar, reorganizar e controlar.

Os bebés também usam gestos de auto proteção que são instintivos em todos nós. O proteger os olhos quando uma luz intensa incide sobre a face, ou quando o ruído ambiente é desagradável e persistente, ou quando simplesmente querem se distanciar do que se passa à sua volta. Tendem a enrolar-se sobre si mesmos, a levar as mãos à frente dos olhos ou à face protegendo os ouvidos e os olhos. Também são tidos como sinais de evitamento o fincar os pés com força contra algo, levantar os braços no ar e abrir as mãos numa atitude de recusa.

Gestos de autoconsolo como levar as mãos à boca e sugar, segurar-se a algo, juntar as mãos ou pousar um pé no outro para adquirir conforto ou para se preparar par prestar atenção são respostas positivas ao que está a acontecer.

As expressões faciais do bebé também podem-nos dizer muito do que ele sente. Se as bochechas estão descaídas, com a boca aberta e o queixo descaído, isto poderá significar que está cansado. As caretas e o choramingar revelam desconforto. A expressão descontraída, parecendo que o rosto se ilumina ou parecendo atento, indica que ele está a gostar da companhia. Se franzir a testa e arquear as sobrancelhas, ele está definitivamente interessado na sua voz e quer comunicar.

O sono e alerta. É importante saber reconhecer o estádio de alerta para que sejam respeitados sobretudo os seus momentos de repouso, ou a sua necessidade de repousar quando começa a ficar irrequieto, irritado ou então mostrar sinais de cansaço e distanciamento.

Sono. O feto dorme a maior parte do tempo enquanto está dentro do útero materno, pelo que é importante deixar o prematuro dormir o máximo possível. Enquanto ele dorme poderão observar-se movimentos oculares debaixo das pálpebras fechadas, estamos perante o sono leve ou REM- rapid eye movements. Os adultos sonham neste tipo de sono. Para os bebés este é a altura em que o cérebro cresce e se desenvolve e a retina matura.  Pelo contrário quando o bebé está a dormir e não se vêm movimentos oculares, estamos perante o sono profundo ou NREM – non rapid eye movements. O sono profundo é importante para o crescimento do bebé e o restabelecimento da doença. A interrupção do sono deve ser, de todo evitada e apenas possível em situações de manifesta emergência.

Bebé prematuro a dormir

Alerta. Quando está acordado, o bebé pode estar tranquilo, inicialmente o seu olhar pode ser vago, mas à medida que ele cresce e matura vai apresentando um olhar mais vivo e dirigido, como se quisesse conversar. Aproveite estas ocasiões para estar com ele, falar, cantar ou prestar os cuidados. Ele está a aprender! Descubra como é que ele responde aos estímulos. Alguns bebés fecham os olhos e voltam a dormir, porque se sentem cansados. Outros respondem com soluços, bocejos ou espirros. Gradualmente os prematuros irão passar mais tempo em alerta tranquilo. Também as manifestações de desconforto ou cansaço tornam-se mais robustas, com choro intenso ou agitação motora. Mais tarde poderá distinguir tipos de choro diferentes que significam coisas diferentes.

Bebé organizado, calmo e que parece querer dormir

Todos estes sinais são a word in a sentence¹, isto é uma palavra numa frase. A interpretação da mensagem requer um conhecimento muito profundo dos seus comportamentos através da observação cuidada  e o enquadramento ambiental, o que se passa à volta dele e que poderá ter precipitado tal manifestação.

Este processo de permanente ouvir, interpretar e responder é essencial para que o seu filho se sinta bem na UCIN. Exige um respeito pelo que ele é e sente.

¹Cherry Bond

 

Share

4 pensamentos em “Olha para mim!

    • O João está lindo! Um verdadeiro reguila cheio de energia que só foi possível com toda a vossa ajuda. Não vos esquecemos! Vou ficar atenta ao vosso site e mais uma vez PARABENS!

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>