A ida para Casa

À medida que o bebé se torna maior e mais forte aproxima-se a hora de ir para casa.

WP_20150404_002

A ida para casa é vivida com grande expectativa, às vezes, ansiedade e medo. A alegria que os pais sentem por finalmente terem o seu filho em casa envolve também os receios de terem de cuidar dele sozinhos. A unidade de cuidados intensivos é um local onde os bebés estão em permanente observação e onde os pais obtêm ajuda e apoio a todo o momento, 24 sobre 24 horas. Muitas unidades preparam a ida para casa desde muito cedo ao incentivar a que gradualmente os pais se sintam autónomos e capazes de responder às solicitações do bebé.

Preparação para a alta: coisas que não pode esquecer!

- Inscreva o seu filho no Centro de Saúde e dê conhecimento à equipa de saúde da sua Unidade de Saúde Familiar, ou médico de família.

- Procure um Pediatra, se for o caso, e marque a primeira consulta. A vigilância de saúde pode ser feita no centro de saúde. Esta primeira consulta deve acontecer ainda durante a primeira semana após a alta. Se o bebé nasceu muito prematuro ele necessitará de continuar a vir ao hospital, à consulta externa ou centro de desenvolvimento para vigiar o seu crescimento e desenvolvimento. Neste caso os profissionais da Neonatologia marcarão as consultas.

- Se o bebé nasceu muito prematuro ou tem necessidades especiais, peça uma reunião com a equipa da Neonatologia para preparar a ida para casa e antecipar a necessidade de cuidados especiais, a aquisição de equipamento ou medicamentos especiais.

- Assegure-se que o bebé recebeu as vacinas exigidas.

- Se o bebé nasceu antes das 30 semanas de idade gestacional assegure-se que teve alta da oftalmologia, e se não quando deverá ir a uma nova consulta.

- Assegure-se que o seu bebé fez os testes auditivos e pergunte se necessitará de voltar e quando.

- Assegure-se que no dia da alta leva consigo o Boletim Individual de Saúde onde deve constar o relatório médico do internamento, o Boletim de Vacinas e as receitas para medicamentos ou para adquirir leite se for o caso.

- Obtenha informações sobre o RSV (Vírus Sicial Respiratório) e a época do ano mais susceptível para o bebé adquirir a infeção e como o proteger.

- Pergunte ao pessoal da unidade se pode ficar uma ou duas noites na unidade e cuidar do seu bebé durante a noite para o conhecer melhor (se isso nunca aconteceu), antes da alta.

É importante refletir sobre o seguinte, o seu bebé é ainda muito sensível e frágil (isto continua a ser verdade mesmo para os que já atingiram a idade gestacional de termo – 40 semanas). A ida para casa é para ele também um desafio. Ele tem que se habituar ao novo ambiente com cheiros, sons e rotinas pouco familiares e ajustar e continuar a amadurecer os padrões de sono e vigília.  O bebé poderá continuar a precisar de ser mantido junto de si, enquanto se torna mais forte. Esta necessidade pode ser maior do que o que pensaria já que poderá acalmá-lo melhor junto do seu corpo ao sentir o seu odor familiar, toque e o som do seu coração. Ficará impressionada com a atenção que ele vai precisar! Peça ajuda para as compras, cozinhar, arrumar a casa e a roupa e ajudar com os outros filhos se for o caso, para que continue a concentrar-se no seu filho.

Dê tempo a que o bebé se habitue à nova casa e peça aos familiares e amigos para virem algum tempo depois da alta, sobretudo em épocas de gripes e constipações. Ele, por ser pequeno, continua vulnerável a infeções.

Ajudar o bebé em sua casa

  • Sono

Pergunte á equipa que cuidou do seu filho como era ele durante a noite. É comum os bebés acordarem várias vezes de noite, padrão que  ir-se-à regularizar alguns meses depois. Ele pode estar ainda a aprender a ignorar sons que perturbam o sono e mexer-se frequentemente quando está a dormir, abrir os olhos, choramingar e emitir sons vocais. Observe-o antes de o levantar do berço, preserve o sono. Não se esqueça que o sono é importante para o crescimento e desenvolvimento cerebrais!

O seu quarto é o melhor lugar para o bebé dormir nos primeiros meses. Mantenha o quarto escuro à noite e deixe-o acostumar-se à luz do dia, de dia, enquanto dorme. Escuro à noite e luz do dia de dia irá ajudá-lo a adquirir os padrões de sono/alerta nos próximos meses – ritmos circadianos.

Certifique-se que a temperatura ambiente se mantém estável e agradável.

  •  Alimentação

O padrão alimentar é outra actividade que pode não ser regular. Inicialmente pode ter sido aconselhada a acordar de noite para alimentar o seu bebé, especialmente se teve alta muito pequenino e com necessidade de aumentar de peso de forma consistente. Nos primeiros dias o bebé pode estar mais rabugento e querer comer mais vezes. Vai leva tempo até que ele durma longos períodos à noite. Quando começar a aumentar de peso mais regularmente pode tentar espaçar as alimentações à noite.

Pontos a reter:

- Peça informações detalhadas aos profissionais da unidade sobre a alimentação do bebé em casa, caso não seja leite materno.

- Se estiver a amamentar armazene algum leite em casa. É importante  manter o suprimento de leite materno extraindo leite após as refeições até o bebé estar forte o suficiente para esvaziar todo o peito.

- Bebés que nasceram prematuros podem necessitar de suplementos alimentares ou leites especiais. Assegure-se que tem os suplementos em casa e devidamente acondicionados. Em regra não devem misturar-se com o leite pois podem dar mau sabor.

Estes suplementos podem ser vitaminas, cálcio ou ferro, que permitirão um crescimento mais equilibrado.

  •  Novas experiências

Para bebés que nasceram prematuros as novas experiências podem ser muito exigentes e muitos beneficiam de de um ambiente calmo e de cuidados sensíveis. Um ambiente calmo ajuda-o a adormecer, a dormir mas também a acordar e a ter força para se alimentar.

Os órgãos dos sentidos, e o cérebro estão a desenvolver-se rapidamente. A pouco e pouco será visível um interesse maior pelo ambiente. Vá oferecendo experiências ao bebé, sobretudo a interação cara a cara, cantigas e conversas mais e mais longas. Esteja atenta se os estímulos que introduz o deixam rabugento ou cansado, quando ele os evita ao afastar os olhos ou ao fechar os olhos e parecer adormecer.

Pesquisas recomendam que evite sons de fundo constantes como a televisão ou o rádio.

  •  Crescimento e desenvolvimento

O bebé continuará ligado à unidade através de equipas de visita domiciliária ou  através da equipa da consulta de desenvolvimento- médicos, enfermeiros, terapeutas ocupacionais, fisioterapeutas, psicóloga e assistente social.

Se for o caso do seu filho, a equipa da unidade irá explicar-lhe o plano de consultas de desenvolvimento o que pode apenas significar o início de idas frequentes e prolongadas no tempo, ao hospital ou a centros de apoio ao desenvolvimento.

Bebés que nascem antes do tempo podem precisar de apoio especializado. As condições ambientais que as unidades hospitalares oferecem parecem não constituir locais perfeitos para que o seu desenvolvimento se processe de forma mais adequada. Existem desvios no desenvolvimento cerebral, sensorial e motor com implicações muitas vezes importantes no crescimento e desenvolvimento global do bebé, quer a nível motor, do desempenho cognitivo, quer social, quer psicológico e mesmo emocional.

As consultas de desenvolvimento pemitem acompanhar de perto o desenvolvimento cerebral e motor do bebé, corrigir desvios, potenciar capacidades e desenvolver outras necessárias às actividades de vida diárias actuais e no futuro do bebé, como o agarrar, o gatinhar, o andar ou mesmo falar, ler e concentrar-se. Em regra este acompanhamento estende-se até aos 7 anos, pelo menos, altura em que entram na escola.

Preparar a casa para o bebé com necessidades médicas especiais

Alguns bebés podem apresentar ainda algumas sequelas da prematuridade com alterações fisiológicas importantes e continuar a necessitar de apoio médico e tecnológico de suporte a algumas funções vitais como a terapia com oxigénio em casa ou alimentação especial.

 - Discuta com a equipa de saúde a necessidade de equipamento ou matérias especiais que o seu bebé possa necessitar.

- Aprenda a funcionar com equipamento que possa necessitar em casa e leve a informação necessária a quem recorrer no caso de necessitar de ajuda.

- Saiba como e onde adquirir mais equipamento ou materiais quando necessitar.

 

 Segurança

- Adquira uma cadeira própria para transporte do bebé com redutor adequado. Existem hospitais onde os bebés não podem sair sem estar instalado numa cadeira. Questione os profissionais se existe O Programa Alta Segura e participe. Caso contrário ouça atentamente o que os profissionais têm a dizer sobre a segurança do seu bebé e coloque todas as dúvidas que tem.

- Discuta com os profissionais o deitar de costas a dormir e a hora de estar de barriga para baixo.

- Se existir na sua área assista a um curso de RCP (reanimação cardiorrespiratória -www.ordemenfermeiros.pt ).

Para mais informações:

www.apsi.org.pt

Preparar a casa para a chegada do bebé

- Compre e armazene tudo o que necessita para o bebé: fraldas, toalhetes, biberões e leite (se não amamentar), termómetro digital ou de coluna sem mercúrio, cobertores, detergente para a roupa, produtos de higiene, entre outros.

- Prepare o berço/cama.

- Tenha à mão os nº de emergência.

- Limpe a casa cuidadosamente de pó, pelos de animais, cheiro de tintas, fumo de tabaco ou outros cheiros incomodativos e nocivos que podem causar irritações oculares, do nariz ou pulmão.

- Ensine a todos da casa como lavar bem as mãos.

Tenha uma conversa prévia com familiares e amigos sobre alguns cuidados para manter o seu bebé prematuro saudável. Peça o seu apoio e respeito. Não pode permitir que fumem dentro da habitação ou fora dela junto a portas ou janelas abertas. Antes de aparecerem para visitar peça que avisem, instruindo como lavar as mãos devidamente, limitando o número de visitas e o tempo de permanência, bem como limitando as visitas de crianças pequenas àquelas que vivem com o bebé. Pedir que qualquer visitante doente não venha.

É importante seguir as indicações dos técnicos, efectuar o acompanhamento necessário e acima de tudo brincar, amar e proteger o seu filho

Share

1 pensamento em “A ida para Casa

  1. Oi Elsa muitos parabéns o site está lindo, já me fizeste chorar de tantas saudades que eu estou dos pequeninos. Logo escrevo com mais calma, mas gostava desde já de disponibilizar os serviços aqui no centro de saúde de faro, onde eu e uma colega podemos dar o apoio neessário e em casa neste momento tão dificil para os pais dos nossos pequeninos.
    Bjs MUITOS PARABÈNS!!!
    ESTÀ LINDO……
    Muitas saudades
    Isabel

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>