Vou para casa!

A ida para Casa do bebé que nasceu prematuro.

Sistema de retenção automóvel

À medida que o bebé se torna maior e mais forte aproxima-se a hora de ir para casa.

A ida para casa é vivida com grande expectativa, às vezes, ansiedade e medo. A alegria que os pais sentem por finalmente terem o seu filho em casa envolve também os receios de terem de cuidar dele sozinhos. A unidade de cuidados intensivos é um local onde os bebés estão em permanente observação e onde os pais obtêm ajuda e apoio a todo o momento, 24 sobre 24 horas. Desde muito cedo que a equipa de saúde vai preparando esse caminho, incentivando gradualmente a que se sintam autónomos e capazes de responder às solicitações do bebé.

Preparar para a alta:

– Inscreva o seu filho no Centro de Saúde e dê conhecimento à equipa de saúde da sua Unidade de Saúde Familiar, ou médico de família. O crescimento do seu bebé terá que ser vigiado o que normalmente é da responsabilidade dos Centros de Saúde, mesmo que o seu filho continue a ser acompanhado no hospital após a alta. O número de utente do seu bebé é indispensável!

– Procure um Pediatra, se for o caso, e marque a primeira consulta. A vigilância de saúde pode ser feita no centro de saúde. Esta primeira consulta deve acontecer ainda durante a primeira semana após a alta. Se o bebé nasceu muito prematuro ele necessitará de continuar a vir ao hospital, às consultas de desenvolvimento para vigiar o seu desenvolvimento. Neste caso será contactado pelo hospital com o agendamento das diferentes consultas (fisioterapia, terapia oral, psicologis, oftalmologia e audiometria, entre outras que possam ser necessárias).

– Se o bebé nasceu muito prematuro ou tem necessidades especiais, peça uma reunião com a equipa da Neonatologia para preparar a ida para casa e antecipar a necessidade de cuidados imediatos e ao longo da sua infância.

– Existem hospitais que têm apoio domiciliário, ou nos centros de saúde, e ainda organizações privadas. Procure aos profissionais se esse serviço está disponível na sua região e marque o acompanhamento domiciliário antecipadamente.

– Assegure-se que o bebé recebeu as vacinas exigidas.

– Se o bebé nasceu antes das 30 semanas de idade gestacional assegure-se que teve alta da oftalmologia, e se não quando deverá ir a uma nova consulta.

– Assegure-se que o seu bebé fez os testes auditivos e pergunte se necessitará de voltar e quando.

– Assegure-se que no dia da alta leva consigo o Boletim Individual de Saúde onde deve constar o relatório médico do internamento, o Boletim de Vacinas e as receitas para medicamentos ou para adquirir leite se for o caso.

Se o seu bebé nasceu antes das 28 semanas ou 27 semanas e 6 dias, ele tem direito a subsídio total para o leite e alguns medicamentos. Consulte a Portaria nº 76/2018 onde é estabelecido o regime excepcional da comparticipação do Estado no preço das tecnologias de saúde para crianças com sequelas respiratórias, neurológicas e/ou alimentares secundárias à prematuridade extrema. Para usufruir deste benefício todas as receitas devem fazer referência a esta Portaria.

– Obtenha informações sobre o RSV (Vírus Snicial Respiratório) e a época do ano mais suscetível para o bebé adquirir a infeção e como o proteger. O início da vacinação é normalmente em outubro, e realizada no hospital. O hospital fará o agendamento. O bebé que nasce prematuro tem maior suscetibilidade à infeção pelo VSR, uma infeção respiratória por um virus que poderá ser grave.

– Pergunte ao pessoal da unidade se pode ficar uma noite na unidade e cuidar do seu bebé durante a noite, antes da alta.

Segurança

– Adquira uma cadeira própria para transporte do bebé com redutor adequado. Existem hospitais onde os bebés não podem sair sem estar instalado numa cadeira. Questione os profissionais se existe O Programa Alta Segura e participe. Caso contrário ouça atentamente o que os profissionais têm a dizer sobre a segurança do seu bebé e coloque todas as dúvidas que tem.

– Discuta com os profissionais o deitar de costas a dormir e a hora de estar de barriga para baixo.

– Se existir na sua área assista a um curso de RCP (reanimação cardiorrespiratória -www.ordemenfermeiros.pt ).

Para mais informações:

www.apsi.org.pt

 Preparar a casa para o bebé com necessidades médicas especiais

– Discuta com a equipa de saúde a necessidade de equipamento ou matérias especiais que o seu bebé possa necessitar.

– Aprenda a funcionar com equipamento que possa necessitar em casa e leve a informação necessária a quem recorrer no caso de necessitar de ajuda.

– Saiba como e onde adquirir mais equipamento ou materiais quando necessitar.

Preparar a casa para a chegada do bebé

– Compre e armazene tudo o que necessita para o bebé: fraldas, toalhetes, biberões e leite (se não amamentar), termómetro digital ou de coluna sem mercúrio, cobertores, detergente para a roupa, produtos de higiene, entre outros.

– Prepare o berço/cama.

– Limpe a casa cuidadosamente de pó, pelos de animais, cheiro de tintas, fumo de tabaco ou outros cheiros incomodativos e nocivos que podem causar irritações oculares, do nariz ou pulmão.

– Ensine a todos da casa como lavar bem as mãos.

– Tenha à mão os nº de emergência.

Tenha uma conversa prévia com familiares e amigos sobre os cuidados para manter o seu bebé prematuro saudável. Peça o seu apoio e respeito. Não pode permitir que fumem dentro da habitação ou fora dela junto a portas ou janelas abertas. Antes de aparecerem para visitar peça que avisem, instruindo como lavar as mãos devidamente, limitando o número de visitas e o tempo de permanência, bem como limitando as visitas de crianças pequenas àquelas que vivem com o bebé. Pedir que qualquer visitante doente não venha.

Prepara as necessidades nutricionais do bebé

– Pedir informações detalhadas aos profissionais da unidade sobre a alimentação do bebé em casa, caso não seja leite materno.

– Se estiver a amamentar armazene algum leite em casa.

– Bebés que nasceram prematuros podem necessitar de suplementos alimentares ou leites especiais. Assegure-se que tem os suplementos em casa e devidamente acondicionados. Em regra não devem misturar-se com o leite pois podem dar mau sabor.

Estes suplementos podem ser vitaminas, cálcio ou ferro, que permitirão um crescimento mais equilibrado.

Vigilância de saúde

– Em Outubro inicia-se a vacinação contra o VSR .

– Cumpra o calendário vacinal normal no Centro de Saúde.

– Não falte às consultas e terapias, pois são de extrema importância para a vigilância do desenvolvimento do seu bebé. Nessas consultas poderá saber qual a estimulação mais adequada e os sinais de alterações de desenvolvimento.

Prepare os seus filhos mais velhos para a chegada do irmão

Durante algumas semanas, ou meses, a sua atenção foi muito direcionada para este bebé que esteve no hospital. Trazê-lo para casa pode causar alguma ansiedade nos irmão, em especial se este bebé que vem para casa necessita de muita atenção e cuidados extraordinários. Uma das reações que podem surgir nos filhos mais velhos são os pedidos constantes de atenção.

– Encorajar os filhos a falarem do que sentem relativemente ao irmão recém-chegado. Assegure-lhes que agora está mais tempo em casa e que irá cuidar também deles.

– Quando ainda no hospital traga fotografias, objetos do bebé, como meinhas ou roupinhas, e partilhe com eles o que faz no hospital.

– Peça para eles fazerem um desenho que colocará junto do bebé na UCIN e cole junto da incubadora fotos dos filhos, ou da família, e mostre-lhes.

– Consulte a psicóloga do serviço e peça ajuda, e, se possível, como e quando pode levar os irmão a visitar o bebé na UCIN. O ambiente da UCIN foi assutador para si, e também o é para os outros filhos, bem como a aparência do seu filho prematuro.

– Quando possível, envolva os filhos mais velhos nalguns cuidados e lembre-lhes que existem coisas que o bebé recém-chegado não cosegue fazer, como vestir-se ou alimentar-se, e que poderão ajudar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *